Jesus mostra e ensina o amor de Deus pela humanidade!

amor de Deus e salvação

O Projeto Salvador de Deus

A liturgia do 4.º Domingo da Quaresma coloca-nos diante do projeto salvador de Deus para o mundo e para os homens: é uma iniciativa de Deus que, independentemente dos nossos méritos, nos oferece a Vida eterna. Cada um de nós tem de decidir como acolhe essa oferta e que resposta lhe dá. A nossa resposta deve ser levada na alegria, marca essencial do Evangelho e deste Domingo da Quaresma, chamado o “Domingo da Alegria”.

primeira leitura – 2Cr 36,14-16.19-23 – avisa que, quando o homem prescinde de Deus e escolhe caminhos de egoísmo e de autossuficiência, está a construir um futuro de dor e de morte. Mas garante, por outro lado, que Deus nunca desiste dos seus filhos: Ele dá-lhes sempre a possibilidade de reconstruir a vida, de começar de novo.

segunda leitura – Ef 2,4-10 – diz-nos que, apesar da nossa condição de fragilidade e de pecado, Deus nos ofereceu, em Cristo, a Vida e a salvação. Não o fez em resultado dos nossos merecimentos; foi uma oferta totalmente gratuita, que resulta do amor que nos tem.

O Encontro com Nicodemos

No Evangelho – Jo 3,14-21 –, João apresenta, em palavras do próprio Jesus, o projeto de salvação de Deus: por puro amor, Deus enviou ao nosso encontro o seu Filho Unigênito, que veio oferecer-nos a salvação. Assim sendo, quem “acreditar” em Jesus e aprender com Ele a lição do amor até ao extremo, nascerá para uma Vida nova, para a Vida plena e definitiva.

O Evangelho de hoje narra o encontro entre Jesus e Nicodemos, e o trecho tata do “projeto divino de salvação”. Nicodemos era um fariseu respeitado e instruído na Lei de Deus – Jo 7,50-52, pois Ele sentiu a necessidade de buscar a orientação de Jesus, reconhecendo-o como um mestre vindo de Deus. O encontro se deu à noite. Para São João, o ambiente noturno é símbolo da dúvida, do pecado e até da morte. Nicodemos tem dúvidas e deseja iluminá-las.

A escuridão da noite pode ser interpretada também como a treva espiritual que, por vezes, paira sobre a humanidade. Nicodemos, apesar de sua posição e conhecimento religioso, sentiu a necessidade de ir além das tradições estabelecidas e buscar compreender com profundidade o dom divino da salvação. Portanto, nesse diálogo, destaca-se o dom do amor incondicional de Deus. Jesus fala sobre o amor divino pelo mundo e sobre o sacrifício do Filho para a salvação da humanidade. Tal mensagem revela a compaixão de Deus e a oferta da redenção a todos.

Aprendemos com Nicodemos a humildade e a disposição de ouvir o Senhor Jesus, de ir ao seu encontro pela Eucaristia, reconhecendo a nossa própria falta de compreensão dos mistérios sagrados, nos abrindo para a graça de Deus.

A Transformação Interior: Abraçando a Graça e a Compaixão no Tempo da Quaresma

Vamos romper as formalidades religiosas e os ritualismos tradicionalistas, abrindo nosso coração e mente para uma transformação interior que provém de Jesus. Pela comunhão com Deus e a vivência de uma vida nova, encontramos amor fraterno, graça e compaixão.

Deus nos presenteou com seu Filho, concedendo-nos a graça da vida plena e da salvação. À medida que nos aproximamos da Páscoa, permitamo-nos ser inspirados pela luz de Jesus. Desfaçamos discórdias e promovamos a amizade social entre irmãos e irmãs. A Quaresma é o momento propício para abrir nossos corações, deixando de lado hipocrisias e clericalismos, e buscando a misericórdia divina.

Que nossos gestos, palavras, atos e atitudes sejam inspirados pelo exemplo de Jesus Cristo. Aqueles que escolhem Cristo e seu Evangelho serão salvos, pois “Deus enviou seu Filho ao mundo para que o mundo seja salvo por Ele!” O amor a Deus no próximo constrói pontes entre este mundo e o céu .

Conclusão

Este texto aborda o projeto salvador de Deus para a humanidade, independentemente dos méritos individuais. A liturgia do 4.º Domingo da Quaresma nos convida a decidir como acolhemos essa oferta divina. A alegria é essencial, marcando este “Domingo da Alegria”. As leituras destacam a reconstrução da vida, a oferta gratuita de vida e salvação em Cristo e o encontro com Nicodemos. A escuridão noturna simboliza dúvida e pecado, mas Jesus traz luz e a possibilidade de nascer para uma Vida plena e definitiva

+ Anuar Battisti

Arcebispo Emérito de Maringá, PR