Fazei o bem aos que vos odeiam

“Amai os vossos inimigos e fazei o bem aos que vos odeiam, bendizei os que vos amaldiçoam, e rezai por aqueles que vos caluniam. Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso.” (cf. Lc 6,27b-28.36)

amar o proximo e Fazei o bem aos que vos odeiam
aqui

Vivenciar a misericórdia, é sair de si e transbordar o amor e a misericórdia

A Liturgia do Sétimo Domingo do Tempo Comum nos insere na perspectiva da abundância do amor por meio da misericórdia. As Leituras nos apresentam a lógica do amor para todos, sem exceções, onde os nossos inimigos devem ser amados, afinal o cristão, embora viva a dualidade homem terrestre e do Homem Celestial, a aspiração é vinda do Alto e pelo exemplo de Amor pregado por Jesus Cristo: “Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso” (cf. Lc 6,36).

A Primeira Leitura, retirada do Primeiro Livro de Samuel (1Sm 26,2.7-9.12-13.22-23), é relatado a misericórdia de David para seu inimigo Rei Saul, em que este primeiro teve a possibilidade em eliminar o segundo, porém David entende a proposta de Deus que é usar da misericórdia para com todos, pois isto será retribuído para si, pois “o Senhor retribuirá a cada um conforme a sua justiça e a sua fidelidade” (cf. 1Sm,26,23).

No Evangelho de Lucas (Lc 6,27-38), segue a mesma perspectiva dada na Primeira Leitura, em vivenciar a misericórdia a todos, amigos e inimigos, pois a sede da misericórdia é onde o Cristão deve se inspirar e vivenciar no seu dia a dia. Assim, a lógica do amor misericordioso deve quebrar a barreira de amar somente os que amamos, pois “se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis?” (cf. Lc 6,32). Por isto, vivenciar a misericórdia, é sair de si e transbordar o amor e a misericórdia além dos seus. Conforme Jesus explana: “Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso. Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados. Dai e vos será dado. Uma boa medida, calcada, sacudida, transbordante será colocada no vosso colo; porque com a mesma medida com que medirdes os outros, vós também sereis medidos” (cf. Lc 6,36-38).

A Segunda Leitura extraída da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios (1Cor 15,45-49), liga-se as demais leituras como a consequência daqueles que vivem a misericórdia, afinal aquele que perpassa para a lógica do amor, já é ligado a vivenciar o homem espiritual, que abandona tudo aquilo que impeça de sentir o espírito vivificante, pois seremos reflexos do homem vindo do céu. 

Restaurados pela Liturgia deste Sétimo Domingo do Tempo Comum, que alcancemos no nosso dia a dia a ação misericordiosa em todas instâncias de nossa vida, como forma daqueles que ouvem a Palavra de Palavra e põe-na em prática.

Saudações em Cristo!

+ Eurico dos Santos VelosoArcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG