Encontro de catequese: Vocação: Chamado de Deus

Encontro de catequese: Vocação: Chamado de Deus

Ambiente:

  • Bíblia, vela, flores;
  • Um caminho, no chão, representando o chamado e as vocações.


Recursos:

  • Gravura do rosto de Jesus;
  • Um barco (eu usei papelão) e uma pequena rede;
  • Pezinhos confeccionados em cartolina;
  • Cartões com os nomes das vocações;
  • Um  coração e uma interrogação em cartolina;
  • Gravuras ou desenhos de padre, religiosos(as), família, leigos.

1. Acolhimento e Oração Inicial

  • Acolher a turma com alegria.
  • Conversar informalmente, dando atenção a cada um.       
  • Fazer momento de animação com cantos apropriados.
  •  Sossegar a turma para rezar. Fazer o Sinal da Cruz.
  • Motivar a turma a entregar sua vida nas mãos de Deus com toda a confiança. Cada um poderá fazer uma prece, entregando-se a Jesus. Depois de cada prece, rezar juntos. “Recebe nossa vida, Jesus!”
  • De mãos dadas, rezar um Pai-Nosso.

2. Recordando os encontros anteriores:

Os sacramentos são sete: Batismo, Eucaristia, Crisma, Ordem, Matrimônio, Reconciliação e Unção dos Enfermos.

Os sete Sacramentos são agrupados por sua finalidade:

  • Sacramentos de Iniciação Cristã
  • Sacramentos de Cura
  • Sacramentos de Serviço e Comunhão

Os Sacramentos de Iniciação são:  Batismo, Crisma e Eucaristia. Por eles, são lançados os fundamentos de toda a vida cristã.

O Batismo, Eucaristia, Crisma são chamados Sacramentos da Iniciação Cristã, pois nos colocam no caminho de Jesus.

A Ordem e o Matrimônio são chamados Sacramentos do serviço à comunhão, pois marcam o compromisso das pessoas na vivência da sua vocação na família e na igreja.

Reconciliação e Unção dos Enfermos são chamados Sacramentos da cura, pois são a graça de Deus agindo em nossos momentos de pecado e fraqueza humana e nos momentos de doença.

No último encontro conversamos sobre o sentido da celebração da comemoração do Batismo. As crianças contaram como foi a sua experiência na participação da celebração, recordaram o rito e o seu sentido (tocar a água). Foram convidados a uma reflexão pessoal: O que conheceu sobre Jesus nessa celebração? Como posso conhecê-lo mais?

Meditamos sobre as bonitas palavras de Jesus, no evangelho lido na celebração (Mt 5, 13-16), nas quais ele nos compara com sal e a luz. 

Jesus nessa narrativa nos diz que nós, seus discípulos, somos muito especiais, pois temos a capacidade de dar sabor e um tempero especial a este mundo, e que somos a luz que revela a Verdade da Palavra de Deus, que mostra quem é Cristo e que leva uma mensagem de esperança e paz aos corações aflitos e distantes do amor do Senhor… 

Nos encontros em que falamos sobre os sacramentos de iniciação cristã, entendemos o significado do nosso batismo e dos compromissos que temos como cristão. Ser cristão é ser como Jesus, é viver como Ele viveu, é ter as mesmas atitudes que Ele teve.

“Nós, que pelo batismo somos irmãos em Cristo, somos chamados a uma alta vocação. Nós cristãos somos vocacionados a viver a vida de Jesus, de quem somos imagem e semelhança. Pelo batismo ressuscitamos com Cristo, por isso, somos chamados a buscar as coisas do alto (cf. Cl 3,1), a nos revestir do homem novo. Pois o homem velho está morto e a nossa vida está escondida com Cristo em Deus (cf. Cl 3,3).

Viver a vida de Cristo significa assumir o seu projeto de justiça e santidade, que não meramente exterior, mas principalmente interior. O Reino de Deus, onde acontecerá a justiça e a santidade está dentro de nós, pois ressuscitamos com Cristo. Ele está em nós e a sua vida passará a se manifestar em nós a partir da nossa fé e adesão a essa vocação, a esse projeto de vida e de santidade.

A partir dessa adesão a Jesus Cristo, ao seu projeto de amor em nossas vidas, se manifestará em nós a vocação, o chamado de assumir a nossa cruz e segui-lo. Como os apóstolos e discípulos de Jesus, somos chamados a anunciar essa vid nova, esse projeto de justiça e santidade. Projeto este que comporta acolher o mistério da cruz de Cristo que vive em nós (cf. Gl 2,20). E, se Ele vive em nós, o mistério de Sua cruz passa a fazer parte de nossas vidas.”
Estamos no mês de agosto, mês das vocações… hoje vamos entender melhor o que é vocação.

3. Anúncio do tema do encontro

  • Perguntar às crianças o que elas acham que representa o cenário que montamos no chão.
  • Perguntar o que pensam quando ouvem a palavra VOCAÇÃO.
  • Contar a historinha “A Vocação de Pierre” (ao contar a história, fiz uma pequena modificação na parte onde Pierre fala da vocação do João de Barro, tendo em vista que vocação é diferente de profissão).


A Vocação de Pierre

Pierre é um pássaro que vive na “Floresta das Vocações”. Nessa floresta, cada pássaro, inseto ou animal tem uma vocação específica, e, desde muito cedo eles descobrem qual é ela. Pierre, no entanto, já é um pássaro jovem e, segundo ele, ainda não conseguiu descobrir qual é a sua vocação específica.


– Vovô Pardal, tenho observado os meus amigos e percebi que cada um deles já descobriu qual é a sua vocação! Veja o Canário Zé: mês que vem, ele vai se casar com a andorinha Teté! E o João-de-Barro? É um arquiteto perfeito! Veja só as lindas casas que ele projeta e constrói! E eu? Qual é a minha vocação?


– Querido netinho Pierre, infelizmente eu não posso lhe dizer qual é a sua vocação! Cabe a você descobri-la sozinho! A única coisa que posso fazer por você é apontar caminhos! Mas tenha certeza de uma coisa: a sua vocação se encontra no seu coração.


Após conversar com seu avô, Pierre saiu um pouco feliz, pois vovô Pardal havia lhe dito que ele também possuía uma vocação! No entanto, estava com mais dúvidas ainda: se todos tinham uma vocação, qual era a sua?


Todas as manhãs, Pierre gostava de cantarolar em uma pitangueira que ficava em frente a um antigo asilo, próximo à “Floresta das Vocações”. Para os velhinhos daquele asilo o canto do pássaro simbolizava vida, esperança, amor.


Mas um dia, Pierre cansou de cantarolar. Os velhinhos daquele asilo, então, começaram a se entristecer e, consequentemente ficaram doentes.


– Pierre, meu neto querido, porque você não está cantando mais?

– Sabe o que é vovô? Eu desanimei. Para que cantar se eu não sei qual é a minha vocação?


– Você se lembra do dia em que eu lhe disse que eu poderia apontar caminhos para que você pudesse, por si mesmo, descobrir qual era a sua vocação?


– Sim, lembro-me! 
– Pois bem, este momento chegou!


O avô de Pierre o conduziu até a pitangueira que ficava em frente ao asilo, onde todas as manhãs Pierre cantarolava.


– Olhe para esses velhinhos Pierre! Como você os vê?


– Eles estão muito tristes vovô! 


– Além de estarem tristes, eles também estão doentes!


– Mas por quê vovô?


– Por um simples motivo, meu neto querido: você era o motivo da alegria dessas pessoas! Quando você cantava, esses velhinhos tinham vida e esperança. Você era sinal de que Deus não os havia abandonado! Eles acreditavam na vida, porque você era sinal de vida para eles!


– Puxa vovô! Então está é a minha vocação: levar vida, alegria e esperança para as outras pessoas!


A partir daquele dia Pierre se tornou o pássaro mais feliz da “Floresta das Vocações”.
– Vovô, muito obrigado por me indicar o caminho!

– Cada um de nós Pierre, já nasce com uma vocação gravada em nosso coração!  E temos a liberdade de dizer: “sim” ou “não” a ela! Mas para que possamos dizer sim ou não é necessário passarmos por várias etapas de amadurecimento: medo, questionamentos, desafios, visão da realidade… E você só é feliz, hoje, porque pôde dizer um “sim” maduro à sua vocação!

4. Desenvolvendo o tema

Vocação é o tema deste encontro. O que é vocação? O que não é vocação?

Falamos muito de vocação. Quando dizemos que alguém tem vocação, afinal o que queremos dizer? A palavra vocação vem do verbo no latim “vocare” (chamar). Assim vocação significa chamado. É, pois, um chamado de Deus. Se há alguém que chama, deve haver outro que escuta e responde.

A vida de todo ser humano é um dom de Deus. “Somos obra de Deus, criados em Cristo Jesus” (Ef 2,10). Existimos, vivemos, pensamos, amamos, nos alegramos, sofremos, nos relacionamos, conquistamos nossa liberdade diante do mundo que nos cerca e diante de nós mesmos.

Não somos uma existência lançada ao absurdo. Somos criaturas de Deus.

Não existe homem que não seja convidado ou chamado por Deus a viver na liberdade, que possa conviver, servir a Deus através do relacionamento fraternal com os outros.

Você é uma vocação. Você é um chamado.

A vocação não é um sentimento, não é escolhida e não é o desempenho de uma profissão; e não, também, uma predestinação. A vocação é uma resposta às perguntas: o que vou fazer da minha vida? A quem vou entregá-la? É uma decisão livre e corajosa, que envolve a totalidade da pessoa. A vocação é um caminho de felicidade diferente para cada um.

“A vocação é um mistério que vai se revelando pouco a pouco, à medida que vamos descobrindo quem somos e a finalidade da nossa existência.”

Precisamos distinguir bem vocação de profissão, pois não são exatamente a mesma coisa. Veja o quadro abaixo e observe a distinção entre uma e outra:

Profissão

1. aptidão ou escolha pessoal para exercer um trabalho.

2. preocupação principal: o “ter”, o sustento da vida.

3. pode ser trocada.

4. é exercida em determinadas horas.

5. tem remuneração.

6. tem aposentadoria.

7. quando não é exercida, falta o necessário para viver.

8. na profissão eu faço.

Vocação

1. chamado de Deus para uma missão, que se origina na pessoa como reação-aspiração do ser.

2. preocupação exclusiva: “o ser” , o amor e o serviço.

3. é para sempre.

4. é vivida 24 horas por dia.

5. não tem remuneração ou salário.

6. não tem aposentadoria.

7. vive da providência divina.

8. na vocação eu vivo.

A profissão dignifica a pessoa quando é exercida com amor, espírito de serviço e responsabilidade. A vocação vivida na fidelidade e na alegria confere ao exercício da profissão uma beleza particular, é o caminho de santidade.

Encontramos na Bíblia muitos chamados feitos por Deus: Abraão, Moisés, os profetas… Em todas as escolhas, encontramos:

Deus chama diretamente, pela mediação de fatos e acontecimentos, ou pelas pessoas.

Deus toma a Iniciativa de chamar.

Escolhe livremente e permite total liberdade de resposta.

Deus chama em vista de uma missão de serviço ao povo.

Vocação é o encontro de duas liberdades:

* a de Deus que chama

* a do Homem que responde.

Resumindo:

A Palavra de Deus que toca o coração das pessoas fazendo com que elas deixem seu projeto para seguir o projeto de Deus, é vocação. O desejo de ser alguém na vida sonhando ter uma profissão, ainda não é vocação.

O grito da realidade onde Deus se esconde com rosto de pobre, enfermo, criança, idoso, preso, faminto, é vocação.

A vontade de subir na vida não se importando com os outros, explorando e desrespeitando os outros, não é vocação.

Quando falamos em vocação, pensamos em Deus que chama e na pessoa que responde. Jesus Cristo é a Palavra de Deus que caminhou entre nós. No chamado que Ele faz a Pedro, podemos compreender bem o que é vocação.

5. Leitura da passagem bíblica: Lucas 5, 1-11

Jesus está ensinando à multidão e Pedro com os discípulos estão chegando da pescaria. Estão desanimados, pois passaram a noite inteira tentando  pescar e nada conseguiram. Quando acabou de falar, Jesus chega perto de Simão Pedro e lhe ordena: “Avance para águas mais profundas e lancem as redes para a pesca!” (Lc 5,4).

Diante da ordem de Jesus, Simão Pedro resiste, diz que tentou a noite toda e nada pescou, mas no fim se rende e diz que na força da Palavra de Jesus, lançaria as redes.

Eis que acontece a surpresa: eles pescam tantos peixes que quase não cabem na barca. Simão Pedro vendo o que aconteceu, se prostrou aos pés de Jesus e afirmou: “Afasta-te de mim Senhor, porque sou um homem pecador” (Lc 5,8).

Jesus, porém, não se afasta, mas chama Simão Pedro a deixar sua barca e suas redes para segui-lo e ser pescador de homens.

O gesto e as palavras de Jesus nos convidam a não nos apoiar em nossas forças, mas a nos abrir ao projeto de Deus para nós. Simão Pedro se torna o primeiro discípulo, quando Jesus lhe desafia a se tornar pescador de homens e ele se deixa conduzir pelo Mestre.


Compreendendo o texto:

a) É Jesus que se aproxima dos pescadores para chamá-los a seguir seus passos. Também hoje é Ele que se aproxima de nós e nos convida a entrar no seu time e a nos dedicar à sua causa.

b) Esta experiência de vocação não é somente destes discípulos. Há outros testemunhos de pessoas chamadas na sua vida de fé e oração, para serem instrumentos do amor de Deus na vida de tantos outros.

c) Como em outro textos da Bíblia, diante da grande graça que Jesus manifesta a Pedro e aos outros discípulos, podemos nos recordar de outras pessoas que na Bíblia também experimentaram o chamado a ser discípulos missionários do Cristo crucificado.

d) A resposta deve ser como a de Simão Pedro: “Senhor, tu sabes tudo. Tu sabes que eu te amo!”

6. Atividades

  • Distribuí para os catequizandos as figuras que representam as vocações e deixei que conversassem entre eles. Aproveitei para indagar se eles haviam pensado em sua vocação (quando perguntei se alguém queria ser padre ou freira, eles ficaram indicando os colegas… “empurrando” um pro outro. Pelo jeito, a turminha quer mesmo é casar! rsrs). Alguns disseram que querem ser acólitos, músicos na igreja, cantores… Então pedi que colocassem as figuras com as vocações junto aos pezinhos.
  • Levei folhas de atividades para resolverem


7. Oração Final e Encerramento

Hoje, vamos responder à Palavra de Deus, rezando juntos pelas vocações: “Senhor da messe e pastor do rebanho, faz ressoar em nossos ouvidos teu forte e suave convite: “Vem e segue-me!” Derrama sobre nós o teu Espírito. Que Ele nos dê sabedoria para ver o caminho e a generosidade para seguir tua voz. Senhor, que a messe não se perca por falta de operários. Desperta nossas comunidades para a missão. Ensina nossa vida a ser serviço.

Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino, na vida consagrada e religiosa. Senhor, que o rebanho não pereça por falta de pastores. Sustenta a fidelidade de nossos bispos, padres e ministros. Dá perseverança a nossos seminaristas. Desperta o coração de nossos jovens para o ministério pastoral em tua igreja. Senhor da messe e pastor do rebanho, chama-nos para o serviço de teu povo. Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder sim. Amém!

  • Sugerir que ao longo da semana as crianças procurem o padre ou algum diácono para conversar com ele sobre sua vocação e trazer o fruto da conversa no próximo encontro.

Trazer para o próximo encontro fotos da família e até do casamento dos pais se tiver.

AJUDE A MANTER O SITE NO AR !

Nosso site tem uma divida mensal e a cada dia está mais difícil manter o site no ar. Doe qualquer valor e você ira muito ajudar na manutenção e permanência do site no ar ! O seu gesto de amor ajudara muitos catequistas que visitam nosso site

FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR

PIX CHAVE CPF: 16800472808
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

ou

PIX CHAVE EMAIL: [email protected]
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

Deus te abençoe !