Eis aqui, a serva do Senhor.

o sim de Maria, anunciação do Senhor, o anjo anuncia a maria
aqui

Nos domingos anteriores, era João Batista – o profeta precursor- que estava em cena. Hoje, é Maria, a escolhida do Pai celeste, para se tornar a Mãe do venturo Messias, que entra em ação. O Espírito Santo a preparou para tornar-se a Mãe do, ansiosamente, esperado, Salvador do mundo: do libertador. Se os profetas – Isaías, Jeremias e Ezequiel – forneceram algumas características do futuro Messias, ela O acolheu em seu seio, por nove meses. É a mãe. Podia chamá-Lo, carinhosamente, de Filho.

Houve outras mulheres importantes na história da salvação (como Judith, Ester, Isabel etc.), porém, a maior, a mais digna, bela e santa foi Maria: a Mãe. Basta ler e meditar Lc 1, 42-44. 45. 48-49.

Ela foi agraciada por Deus, para tornar-se a Mãe Imaculada do Salvador. Para acolhê-Lo em seu seio, para defendê-Lo, fugindo para o Egito, para procurá-Lo e encontrá-Lo no templo. Para ouvir as palavras do crucificado: “Eis aí teu Filho.” (Jo 19, 27).

Ela O deu vivo para nossa salvação, e nós o entregamos morto, em seu regaço. Que diferença. Reconhecendo sua função ímpar na história salvífica, a Igreja a saúda, com títulos como: “Mãe de Cristo”, e por isso, “Mãe de Deus”, a “Imaculada”, a “Assunta ao céu” e “Mãe da Igreja”.

Ela, por sua vez, a brinda com suas aparições, entre elas: Guadalupe, a mais estudada, cientificamente, e admirada, tornando-se, assim, a padroeira principal da América Latina. A Serva do Senhor, de então, é hoje venerada pelo povo de Deus, como a Rainha dos anjos e dos santos. De todos nós. Rezemos, também, nós: Ave Maria. E nos preparemos bem para o santo Natal.

+ DOM CARMO JOÃO RHODEN, SCJ

Bispo Emérito de Taubaté- SP