Dia Nacional dos Leigos

dia nacional dos leigos
Que o Espírito Santo ajude todos os leigos a viverem o seu batismo e assim pôr em prática a sua fé.

Celebramos no Domingo, dia 26 de novembro, na Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, o dia nacional dos leigos. Os leigos são parte integrante da Igreja, Cristo é a cabeça da Igreja e todos nós, tanto do clero como leigos somos os membros. Os leigos são chamados a assumir um papel de protagonistas na Igreja a partir do batismo. Por meio do batismo cada católico é chamado a ser “Sal na Terra e luz no mundo” e sacerdotes, profetas e reis.

Os leigos são chamados a assumir diversos serviços e ministérios na Igreja, como por exemplo: os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, o Ministério do Leitor, Ministério de Música, Pastoral Social, Catequistas, Grupos de Oração e de Serviços, entre outros. Porém a grande missão do cristão leigo é no mundo. Este dia comemora essa missão do cristão leigo no mundo. É Deus quem chama cada um a assumir as diversas pastorais e ministérios na Igreja. Ele nos chama através da oração e cada um de nós somos convidados a dizer o Sim. A partir do nosso batismo somos chamados a ser testemunhas de Jesus Cristo no mundo de hoje.

Os leigos presentes na igreja e no mundo podem estar onde muitas vezes os padres não podem estar. Os leigos ganharam um maior destaque a partir do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962 -1965), esse destaque não é de maneira alguma ocupar o lugar do sacerdote, mas sim, uma abertura maior para ajudar nas celebrações eucarísticas, ministrar alguns sacramentos e anunciar a Palavra de Deus.

Os leigos são lembrados nessa data, Solenidade de Cristo Rei, pois, do mesmo modo que Jesus percorreu toda a Judéia anunciando o Reino de Deus e entrou em Jerusalém, cada leigo é chamado a anunciar o Reino de Deus onde estiver. Somos chamados a viver o reino de Deus aqui na terra, para contemplá-lo de maneira definitiva no céu.

O Dia Nacional dos Leigos é celebrado desde 1991, e a cada ano essa celebração vai se aperfeiçoando. Esta é uma oportunidade de pedir a Deus que novos leigos se sintam chamados a contribuir com a edificação do Reino de Deus. O católico não deve se contentar em apenas em participar das missas aos Domingos e ir embora, tem de fazer algo a mais, participando em alguma pastoral e aproximando outras pessoas de Deus.

O CNLB (Conselho Nacional do Laicato no Brasil) disponibilizou subsídio de reflexão e celebração para os regionais, (arqui)dioceses, paróquias, movimentos pastorais, associações laçais e comunidades assim como todo material visual para download e impressão.

Os leigos são pessoas batizadas, que exercem os trabalhos na Igreja e são igreja no mundo. Nenhum leigo exerce um trabalho na Igreja esperando remuneração ou salário, o serviço ou ministério que exercemos na Igreja é para Deus, e deve ser de forma livre e gratuita. Aqueles que são chamados para exercerem algum ministério ou serviço na Igreja, não devem se achar melhores do que os outros, muito pelo contrário, devem exercer o ministério ou serviço de maneira humilde e agradecendo primeiramente a Deus por terem sido chamados.

Os leigos precisam estar em constante formação, precisam sempre se atualizar e ler algo sobre a pastoral que exercem. As dioceses sempre promovem formações para catequistas, ministros extraordinários da Sagrada Comunhão, músicos, liturgia, enfim. Do mesmo modo que o padre precisa sempre se atualizar, os leigos também precisam: não podem parar no tempo. As dioceses oferecem retiro anual para os catequistas e outras pastorais, um momento muito rico, em que todos os leigos devem participar. Os leigos são parte integrante da comunidade, são escolhidos do meio da comunidade para exercerem o sacerdócio comum dos fiéis.

O Sínodo dos Bispos, que terminou a sua primeira fase no final de outubro em Roma, falou da corresponsabilidade dos leigos. “Corresponsabilidade” é uma das palavras que mais se repete nos discursos, e é entendida “como o envolvimento e a coordenação dos carismas”, relatou o Prefeito da Comunicação Vaticana Paolo Ruffini. Nesse sentido, a importância de valorizar as figuras, as competências e, em particular, o compromisso dos leigos foi enfatizada nos trabalhos. Os leigos tiveram direito a voto no Sínodo sobre a igreja sinodal, o que não deixa de ser uma grande esperança de maior participação dos fiéis batizados nas decisões da Igreja.

Os leigos também são lembrados no quarto domingo de agosto, mês vocacional. Reforcemos agora o pedido que fazemos ao longo do mês vocacional, peçamos ao Senhor mais operários para a messe, pois a messe é grande e os operários são poucos. Há muitas paróquias ou comunidades que não têm leigos engajados para ajudar nas pastorais, rezemos ao Senhor para que tenhamos pessoas dispostas a assumir os trabalhos nas comunidades.

Celebremos com alegria a Solenidade de Cristo Rei do Universo, e o dia nacional dos leigos, tendo a consciência de assumir o protagonismo na sociedade e de ajudar aqueles que mais precisam. Que esse dia sirva para que os leigos assumam as pastorais em suas comunidades e, principalmente, com sua ação e presença no mundo, ajudem na construção do reino de Deus.

Que o Espírito Santo nos ajude nessa missão e ajude todos os leigos a viverem o seu batismo e assim pôr em prática a sua fé.  

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ