Deus é a fonte da nossa alegria

A alegria do coração é a nossa vida
aqui

O discernimento, dom precioso do Espírito Santo, é a chave do processo de conversão. Que devemos fazer? As pessoas perguntavam a Juan. E recomendou coisas simples, ao alcance de todos: compartilhar roupas e alimentos; agir honestamente sem tirar vantagem dos outros; optar pelos pobres e marginalizados. Não é tão fácil, mas também não é impossível.

Não podemos nos resignar a viver na rotina e na mediocridade, dizendo: “sempre foi assim”. Devemos deixar-nos invadir pela novidade do Espírito Santo que transborda amor, sabedoria e esperança.

João, a voz de Cristo, o Verbo eterno, nos lembra que o Senhor está em nosso meio. Ele é a causa da nossa alegria. A libertação do nosso orgulho, mesquinhez e inveja; a vitória sobre a doença, o mal e a morte, que nos atordoa e entristece.

Deus, compassivo e misericordioso, nos ama desde toda a eternidade. Ele é a fonte da nossa alegria. Como nos recorda o Papa Francisco: “Hoje é preciso coragem para falar de alegria, é preciso sobretudo fé! O mundo está assediado por muitos problemas, o futuro oprimido por incógnitas e medos. E, no entanto, o cristão é uma pessoa alegre, e a sua alegria não é superficial nem efêmera, mas profunda e estável, porque é um dom do Senhor que enche a vida… com a sua ternura, a sua misericórdia, o seu perdão e o seu amor».