Amai-vos uns aos outros

“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.” (Jo 15,9-17)

192
Amai-vos uns aos outros

PRECISO MUITO TE AJUDA !
Divida desse mês é de R$ 514,00 (referente a mensalidade do servidor do site) Data para acertar o pagamento: 17/06
Valor arrecadado: R$ 104,89
FAÇA UMA DOAÇÃO DE QUALQUER VALOR
PIX CHAVE EMAIL: doacao@catequizar.com.br
RESPONSAVEL: Anderson Roberto Fuzatto

A Liturgia do Sexto Domingo da Páscoa, nos convida a refletir sobre o amor de Deus, presente e manifestado nas pessoas, nos gestos, nas Palavras de Cristo. Amor que é emanado dentro de cada um nós, não deve ser retido, mas transbordado, pois o Amor vindo do Pai e do Filho, a qual é o Espírito Santo, é enviado a todos, independente de crer ou não.

A Primeira Leitura retirada dos Atos dos Apóstolos (At 10,25-26.34-35.44-48), demonstra que a Salvação, o Amor do Pai e do Filho – o Espírito Santo – é levada pelos discípulos a todas as pessoas, sem distinção, afinal “Deus não faz distinção entre as pessoas. Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença” (cf. At 10,34-35).

A Segunda Leitura retirada da Primeira Carta de São João (1Jo 4,7-10), é nos dado a maior das definições de Deus: “Deus é amor”. Ora, a entrega de Jesus na cruz vem ao encontro da Salvação a todos os homens, pois “Deus enviou o seu Filho único ao mundo, para que tenhamos vida por meio dele. Nisto consiste o amor: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou e enviou o seu Filho como vítima de reparação pelos nossos pecados” (cf. 1Jo 4,9-10).

O Evangelho narrado por São João (Jo 15,9-17), nos mostra quais coordenadas devemos seguir ao longo da nossa história, afinal Jesus nos aponta em permanecer no amor que ele nos dá, vivenciando através deste amor os mandamentos do Pai, logo permanece no amor. E isto é revelado a cada um de nós pois somos amigos a quem Jesus revelara o amor do Pai. Portanto, Jesus acrescenta mais um mandamento: “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (cf. Jo 15,12), e logo nos ordena a missão de amai-vos uns aos outros, não havendo nenhuma condição, “porém”, “mas” ou “se”, apenas e simplesmente amar.

Permaneçamos fiéis a Deus e a Jesus Cristo, a Verdadeira Fonte de Amor que gera o Espírito Santo, vivenciando os mandamentos do amor e transbordando a todos, sem distinção e/ou condição, através do exemplo de amor que Cristo ofereceu por cada um de nós.   

Saudações em Cristo Ressuscitado! Aleluia!

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG