A Quem Iremos Senhor

Deus nos chama
aqui

Celebramos neste domingo o 21º desse Tempo Comum. Estamos em um mês especial para a Igreja, que é o mês vocacional. Nos últimos três domingos, recordamos a vocação ao ministério ordenado, à família (Dia dos Pais) e à vida consagrada. Nesse quarto domingo do mês de agosto, recordamos a vocação do leigo, ou seja, todos os batizados que são chamados por Deus a servi-lo em algum ministério na comunidade.

Todo batizado é discípulo e missionário de Jesus e chamado por Deus a prestar um serviço na comunidade. Os leigos e leigas são chamados a doar-se gratuitamente em favor da construção do Reino de Deus. Desde o nosso batismo, através das nossas orações diárias, devemos rezar a Deus pedindo a luz do Espírito Santo para que nos mostre em qual serviço ou ministério na comunidade Deus nos chama.

Os cristãos leigos podem servir a Deus no ministério de música, animando a comunidade e louvando com alegria ao Senhor. Podem ser ministros extraordinários da Sagrada Comunhão, que ajudam ao sacerdote a partilhar o pão espiritual. Outra maneira de servir a Deus na comunidade é através do ministério da Palavra, partilhando com a comunidade a Palavra de Deus. E, ainda, ser missionários visitando as casas das pessoas, partilhando a palavra e construindo o Reino de Deus. Exéquias, voluntários, acolhimento, movimentos, pastorais, comunidades…: são tantas possibilidades em nossas paróquias!

O que não podemos, sobretudo nos dias de hoje, é ficar parados, ou seja, somente ir à comunidade sem compromisso. Deus nos chama para algum serviço na, pela e com a comunidade: devemos através das nossas orações descobrir a qual serviço Ele nos chama. Servindo aos irmãos, Deus se alegra conosco e nós de igual modo nos alegramos em servi-lo, sobretudo servindo aos mais pobres.

Na Primeira Leitura da missa deste domingo (Js 24, 1-2a. 15 -17, 18b),Josué indaga a comunidade e pergunta a eles qual Deus eles queriam servir. O que livrou eles do Egito e conduziu até a terra prometida ou ao Senhor que os pais deles serviram na Mesopotâmia ou da terra dos amorreus, a qual eles estavam hospedados. O povo, através das palavras de Josué, escolhe por servir ao Deus verdadeiro, aquele que os livrou da terra do Egito e os conduziu a terra prometida. Cabe a nós também essa pergunta: a quem queremos servir? Ao Senhor que sempre está conosco nos livrando dos perigos ou Senhor dos prazeres do mundo?

O Salmo Responsorial 33 (34) nos diz em seu refrão: “Provai e vede, quão suave é o Senhor”. O Senhor está sempre conosco, é favorável ao nosso apelo e é suave ao perdoar os nossos pecados.

Na Segunda Leitura (Ef 5, 21 -32) Paulo pede à comunidade que sejam solícitos uns com os outros. São Paulo diz uma coisa que devemos saber interpretar para não distorcer o que o apóstolo diz. Ele fala que a mulher deve ser submissa ao marido como ao Senhor. Isso não quer dizer que o homem tenha que mandar na mulher e a mulher obedecer. Mas o apóstolo quer dizer que a mulher deve servir ao seu marido no amor, assim como serve ao Senhor. A mulher deve amar ao marido livremente, assim como o amor a Deus é livre. O marido, antes de tudo, deve respeitar a sua esposa e sendo um exemplo de chefe de família e cabeça da mulher, da mesma forma que Cristo é a cabeça da Igreja. Os maridos devem amar e respeitar as suas esposas.

Essa leitura é bem propícia para o mês de agosto que é o mês vocacional e, sobretudo, por ter celebrado na semana passada o Dia dos Pais iniciando a Semana Nacional da Família. Essa leitura pode ser proclamada, também, em rituais de matrimônio e devemos tomar o cuidado para que isso não fique somente no papel, mas seja transformado na nossa vida. Não existe casal perfeito, mas o amor e solicitude recíprocos devem imperar na vida do casal.

No Evangelho (Jo 6, 60-69) estamos chegando ao fim do capítulo sexto de João e do discurso sobre o pão da vida. Alguns dos discípulos que seguiam Jesus começaram a dizer que a Palavra que Ele dizia era dura demais. Vendo que os apóstolos começaram a murmurar entre si, ele questiona: “Isto vos escandaliza”? E quando virdes o filho do homem subindo para onde estava antes? Por meio da Espírito Santo é que Jesus voltará para o Pai e por meio desse mesmo Espírito Santo é que ele fez tantos milagres e anunciou o reino de Deus.

Jesus ainda diz que ninguém pode ir até Ele se o Pai não o atrair, ou seja, desde o nosso batismo, Deus nos chama a segui-lo e nos conduz em nossa caminhada de fé até Jesus. Desde o nosso batismo, somos chamados a ser sacerdotes, profetas e reis, anunciando o Reino de Deus e sendo luz para quem encontrarmos e descobrir em qual vocação ou ministério Deus nos chama.

Muitos discípulos foram embora depois dessas palavras de Jesus e não queriam mais segui-lo e Jesus indaga seus apóstolos: “Vós também quereis ir embora”? Simão Pedro responde fazendo uma bela profissão de fé: “A quem iremos Senhor? Só tu tens palavras de vida eterna”.

Jesus pergunta para nós hoje, do mesmo modo que perguntou aos apóstolos: queremos ir embora ou queremos ficar com Ele? Acreditamos que Ele tem palavras de vida eterna? As palavras de Jesus não são duras demais, dura é a mentalidade de algumas pessoas que preferem as coisas do mundo e não a Palavra de Deus.

Peçamos as luzes do Espírito Santo para nos orientar e direcionar qual caminho devemos seguir e a qual ministério Deus nos chama. O Senhor nos chama e espera o nosso sim verdadeiro e espontâneo para servi-lo nos irmãos e irmãs. E que nunca faltem leigos dispostos para servir a comunidade.

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ