6. A comunidade é a verdadeira casa da iniciação à vida cristã

1067
PROJETO DE INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ COM INSPIRAÇÃO CATECUMENAL

A importância da comunidade no processo da catequese no Catecumenato

Todas as equipes de serviço da Comunidade, sejam elas compostas por crianças, adolescentes, jovens, adultos ou idosos, têm uma missão importante: ajudar os catecúmenos com seu exemplo a obedecerem com maior generosidade aos apelos do Espírito Santo.

É o Espírito Santo que age em todos os discípulos missionários dando-lhes olhos para ver e ouvidos para ouvir as necessidades das pessoas que encontram em suas ações.

É essa força do Espírito Santo que ilumina o testemunho solidário dos cristãos comprometidos com a vida da Igreja. Por sua vez, esse testemunho reluz aos olhos das pessoas que enxergam os cristãos. É isso que faz da Igreja uma comunhão com o Espírito Santo (2Cor 13,13), já que todos confessam Jesus Cristo como Senhor na força do mesmo Espírito (1Cor 12,3). Todos são ungidos pelo Espírito Santo (1Jo 2,20), que lhes proporciona autêntico sentido da fé. Não importa de qual pastoral o cristão faça parte: todos são agraciados com carismas diversos, em vista da edificação comum, principalmente na propagação da fé transmitida pela vida querigmática e mistagógica (1Cor 14,26).

Assim, a ação do Espírito Santo, por meio do processo de inspiração catecumenal, faz a Igreja se tornar Mãe, geradora de filhos e filhas que aprenderão com ela a serem também profetas, servidores e testemunhas. Essa Mãe Igreja encontra em Maria, mãe do evangelho vivo, o exemplo para agir com ternura e solicitude, sempre lembrando que todos os seguidores devem fazer tudo o que Jesus ordenou.

O Projeto de Iniciação à Vida Cristã da Diocese de Colatina, tendo o exemplo de Nossa Senhora da Saúde como luz, ensina que os sacramentos do Batismo e da Crisma é que nos dão condições de nos aproximarmos da Mesa Eucarística. É o Espírito quem nos traz e, ao mesmo tempo, revela a presença misteriosa de Cristo na Eucaristia.

Devemos apagar a ideia errada de que é preciso ser preparado para a Primeira Eucaristia para ser crismado. Ao contrário, o sacramento da Eucaristia deve ser o ápice, o centro da vida daqueles que renasceram pelo Batismo e também ungidos para que, na ação do Espírito Santo, reconheçam no pão e no vinho o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo.

Em uma Igreja querigmática, mistagógica e materna, somos inspirados pelo estilo mariano evangelizador. Maria é modelo de Igreja para a evangelização, para que ela se torne uma casa para muitos, uma mãe para todos os povos, geradora de um mundo novo e de pessoas novas, que se libertam das trevas do individualismo para a luz da fraterna convivência e se colocam a serviço, seguindo o mesmo exemplo que Jesus Cristo, Mestre e Senhor, nos deu ao lavar os pés dos discípulos (Jo 13,14-15).

É a unidade dos agentes pastorais, alimentada pelo diálogo, que garante o reconhecimento da vocação da missão de todos os batizados em torno do maior sinal da comunhão e que é o sentido da nossa vida cristã: a Santa Eucaristia. É o espírito catecumenal que ajudará a sermos mais próximos da imagem da Igreja que Cristo instituiu: “Nisto reconhecerão que sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros” (Jo 13,35). Certamente, vivendo assim, muitas pessoas serão atraídas ao nosso convívio.

A eficácia do projeto de evangelização da Iniciação à Vida Cristã na Diocese de Colatina dependerá da sintonia entre a Liturgia e os diversos tempos e fases do processo catecumenal, não esquecendo das dimensões da espiritualidade e da missão.

DIOCESE DE COLATINA